Sorvete de Baunilha

“O gerente da divisão de carros da marca Pontiac, pertencente à GM norte-americana, recebeu a curiosa reclamação:

“Esta é a segunda vez que mando uma carta para vocês e não os culpo por não responderem. 
Eu posso parecer louco, mas o fato é que nós temos uma tradição em nossa família, que é a de tomar sorvete depois do jantar.
Repetimos esse hábito todas as noites, variando apenas o tipo do sorvete, e eu sou o encarregado de ir comprá-lo. 
Recentemente comprei um novo Pontiac e, desde então, minhas idas à sorveteria se transformaram num problema. 
Sempre que eu compro sorvete de baunilha, quando saio da loja para o carro, o carro não funciona; se compro qualquer outro tipo de sorvete, o carro funciona normalmente. 
Os senhores devem achar que eu estou realmente louco, mas não importa o quão tola possa parecer minha reclamação. O fato é que estou muito irritado com meu Pontiac”.

Esta mensagem teria provocado risos e piadas dentro da empresa, até que um graduado funcionário resolveu solucionar o problema e tirar essa história a limpo. 
Solicitou que um engenheiro fosse conversar com o reclamante. Ambos acertaram que iriam juntos à sorveteria no Pontiac.
O engenheiro sugeriu sabor baunilha para testar a reclamatória e, por incrível que pareça, o carro não funcionou.
Completamente abismado, o engenheiro repetiu a visita à sorveteria por vários dias, à mesma hora, fez o mesmo trajeto e só variou o sabor do sorvete. 
Entretanto, quando o sabor escolhido era o de baunilha, o carro não pegava na volta. 
Essa história virou uma obsessão para o engenheiro, que passou a fazer experiências diárias, anotando todos os detalhes. 
Somente duas semanas após o início dos testes, o problema começou a ser resolvido.

A DESCOBERTA

A primeira grande descoberta foi a de que quando escolhia baunilha, o comprador gastava menos tempo na compra, porque este sabor estava mais próximo do caixa. 
Examinando o carro, o engenheiro descobriu que como o tempo de compra era muito mais reduzido no caso da baunilha, o motor não chegava a esfriar. 
Com isso, os vapores de combustível não se dissipavam, impedindo que a nova partida fosse instantânea.
A partir desse momento, a GM mudou o sistema de alimentação de combustível do Pontiac e introduziu a alteração em todos os modelos, a partir dessa linha.
O autor da reclamação ganhou um carro novo, além da reforma do que não pegava após a compra do sorvete de baunilha. 
A empresa distribuiu também um memorando interno, exigindo que seus funcionários levem a sério até as reclamações/sugestões mais improváveis:
Porque pode ser que uma grande inovação esteja por trás de um sorvete de baunilha”.

******************
O aprendizado que retiro aqui, é que devemos sempre analisar todos os lados, não é porque não acreditamos em algo que ela se torne impossível de acontecer, a melhor solução é levar TUDO em consideração e aproveitar o que for necessário para solucionar o "problema".